top of page
  • Foto do escritorPsicólogo Flávio Torrecillas

A Borboleta e o Narciso: Uma Fábula Sobre Dependência Emocional

Atualizado: 10 de jun.

Em um jardim encantado, vivia uma borboleta chamada Luna. Ela era conhecida por suas asas coloridas e graciosas, que cintilavam sob o sol. Luna voava livremente pelo jardim, encantando todos com sua beleza e alegria.

Um dia, Luna encontrou uma flor chamada Narciso, que era diferente de todas as outras flores do jardim. Narciso era alto e imponente, com pétalas brancas que reluziam como pérolas. Ele tinha um ar de grandiosidade e parecia se destacar entre as outras flores. Luna ficou instantaneamente atraída por Narciso e passou a visitá-lo todos os dias.


No começo, Narciso foi muito gentil com Luna. Ele elogiava suas asas brilhantes e a convidava para descansar em suas pétalas. Luna se sentia especial e amada na presença de Narciso, acreditando que havia encontrado um amigo verdadeiro. Ela passava cada vez mais tempo ao lado dele, deixando de visitar outras partes do jardim.


Com o tempo, Narciso começou a mudar. Ele passou a criticar Luna, dizendo que suas asas não eram tão brilhantes quanto antes e que ela deveria se esforçar mais para ser bonita. Luna, confusa e magoada, tentou de todas as formas agradar Narciso, mas nunca parecia ser o suficiente. Cada crítica fazia com que Luna duvidasse de sua própria beleza e valor.

Narciso também começou a isolar Luna das outras flores e borboletas. Ele dizia que ninguém mais no jardim a entendia como ele, e que ela deveria ficar ao seu lado sempre. Luna, sentindo-se cada vez mais dependente de Narciso, começou a evitar seus antigos amigos e passou a viver apenas para agradá-lo.

Um dia, enquanto chorava silenciosamente sobre uma pétala, Luna foi abordada por uma joaninha chamada Ruby. Ruby, que observava Luna de longe, perguntou por que ela estava tão triste. Relutante no início, Luna contou tudo sobre seu relacionamento com Narciso e como se sentia perdida e sem valor.

Ruby, com seu olhar gentil, disse a Luna: "Você é uma borboleta magnífica e não precisa da aprovação de ninguém para saber disso. Narciso está usando suas palavras para te controlar, mas seu valor vem de dentro, não das opiniões dele."

Essas palavras tocaram o coração de Luna. Ela percebeu que havia se afastado de tudo o que amava e de quem realmente era por causa de Narciso. Determinada a recuperar sua liberdade, Luna decidiu se afastar de Narciso e redescobrir a alegria que antes sentia ao voar pelo jardim.


Nos dias seguintes, Luna começou a explorar o jardim novamente. Ela reencontrou velhos amigos e fez novos, sentindo-se acolhida e valorizada. Suas asas, antes opacas de tristeza, voltaram a brilhar com todo o esplendor.

Narciso, vendo que Luna não estava mais sob seu controle, tentou atraí-la de volta com elogios e promessas. Mas Luna, agora mais forte e consciente de seu próprio valor, simplesmente sorriu e voou para longe, deixando Narciso sozinho com sua vaidade.


A Moral da Fábula
A dependência emocional pode aprisionar até os espíritos mais livres, mas o autoconhecimento e o apoio verdadeiro podem libertá-los. Não permita que a manipulação e as críticas roubem sua essência. Lembre-se sempre do seu valor e busque relacionamentos que te nutram e respeitem. E assim, Luna continuou a voar livremente, sabendo que sua verdadeira beleza vinha de dentro, e que ninguém jamais poderia tirar isso dela.

A Borboleta e o Narciso: Uma Fábula Sobre Dependência Emocional

A Borboleta e o Narciso: Uma Fábula Sobre Dependência Emocional
A Borboleta e o Narciso: Uma Fábula Sobre Dependência Emocional

15 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page