top of page
  • Foto do escritorPsicólogo Flávio Torrecillas

A Dissociação da Vítima em Relacionamentos Abusivos:

Tão poderoso e imediato quanto um sorriso, o amor é uma força contagiante que transforma a vida em um ciclo harmonioso, servindo como a pedra angular da nossa autoestima. Quando alguém é agraciado com amor, aprende a nutrir o amor por si próprio e pelos outros. Através do afeto, empatia, aceitação e carinho, cultivamos a capacidade de abraçar nossos próprios sentimentos, vivendo em sintonia conosco mesmos. O amor é o arqui-inimigo da baixa autoestima, pois aqueles que são amados florescem como girassóis em um dia de sol radiante. Entretanto, quando alguém está envolvido em um relacionamento com um narcisista, a sombra constante da amargura do parceiro torna desafiador manter uma existência pacífica ao lado de alguém que personifica a insatisfação, já que nada parece satisfazê-lo. Para agradar um narcisista, a vítima é obrigada a realizar todos os seus desejos de acordo com suas rígidas expectativas. Agradar um narcisista exige algo notavelmente especial e exclusivamente voltado para ele. A vítima se adapta à natureza infantil e emocionalmente instável do parceiro narcisista ao longo do relacionamento. Ao longo do relacionamento, a vítima recorre a mecanismos psicológicos para lidar com os estímulos negativos. Entre os recursos cognitivos disponíveis, a distração emerge como um dos mais eficazes. Quando há preocupações sobre um resultado de exame, assistir a uma comédia romântica é suficiente para desviar a atenção do problema. Concentrar-se em uma pintura na sala de espera do dentista pode ajudar a evitar o pensamento sobre o temido instrumento pontiagudo. A vítima compreende que redirecionar o foco de algo doloroso pode ajudar a manter o estresse sob controle. No contexto de um relacionamento com um narcisista, essa estratégia é aplicada de forma ampla e constante. Para coexistir sob o mesmo teto sem crises emocionais constantes, a vítima aprende a ignorar os comportamentos perturbadores do parceiro. Enquanto o narcisista, repleto de raiva, se exalta por motivos insignificantes, a vítima se desconecta do momento e até de si mesma. Ela se torna apenas uma mente dissociada do presente, alheia às emoções que a dor emocional causa, tornando-se capaz de suportar os ataques verbais do narcisista. A dissociação se torna o antídoto para o veneno narcisista. No entanto, a longo prazo, o hábito da dissociação se revela prejudicial, causando danos significativos à identidade e autoestima. A dissociação mina não apenas o relacionamento consigo mesma, mas também com os outros. Com o tempo, a capacidade de sentir e se conectar com os próprios sentimentos e os dos outros enfraquece. Isso ocorre porque a pessoa está desconectada de suas próprias emoções, e sua resposta a momentos dolorosos se torna mecânica e calculada, como se ela não fosse mais humana. Isso resulta em reações automáticas e a perda da empatia em relação às emoções das outras pessoas. Para alcançar uma experiência de vida autêntica que reflita sua identidade de forma integral e mantenha relacionamentos saudáveis, é fundamental que a vítima restabeleça uma relação harmoniosa com suas próprias emoções.


22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

TERAPIA É UM PROCESSO DE "CURA"

A terapia representa uma caminhada significativa em direção ao autodescobrimento e renovação pessoal. Este percurso, embora repleto de desafios, é fundamentado na dedicação contínua, na paciência para

Narcisismo Oculto e Mídias Sociais

Em nossa era digital, as mídias sociais se tornaram um espelho ampliado da sociedade, refletindo as complexidades, as belezas e, por vezes, as sombras de nossa natureza humana. Entre essas sombras, o

Comments


bottom of page