top of page
  • Foto do escritorThyz Muszynsky

A Transformação de Malévola: De Vítima a Vilã e Heróina

Malévola nos lembra de que, por trás de cada vilã, há uma história não contada de dor e traição, convidando-nos a olhar além das aparências e a encontrar compaixão pelas feridas ocultas que moldam até mesmo os corações mais endurecidos.

No filme "Malévola", lançado em 2014, somos apresentados a uma narrativa cativante e complexa que reinventa a conhecida vilã da história de "A Bela Adormecida". No entanto, esta adaptação oferece uma nova perspectiva sobre sua origem, retratando Malévola mais como uma vítima do que uma perpetradora do mal. Este artigo explora como Malévola, interpretada magistralmente por Angelina Jolie, é transformada de uma protetora da natureza em uma figura de vingança, após ser traída por Stefan, um personagem profundamente narcisista e manipulador.


Desde o início, Malévola é apresentada como uma fada poderosa e bondosa, que vigia e protege a Terra dos Moors, um reino mágico repleto de criaturas encantadas. Sua vida muda drasticamente devido à traição de Stefan, alguém que ela uma vez amou e confiou. Stefan, movido pela ambição de se tornar rei, engana Malévola de maneira calculista, alimentando seus sentimentos e usando seu amor para atingir seus próprios objetivos egoístas. Ele não apenas manipula Malévola emocionalmente, mas também a agride fisicamente, roubando suas asas poderosas — um ato que serve como um ponto de virada devastador para ela.

O trauma da traição de Stefan e a perda de suas asas marcam o início da jornada de Malévola para a escuridão. Sentindo-se profundamente ferida e traída, ela canaliza sua dor e raiva para se vingar de Stefan. A narrativa do filme nos faz questionar as dinâmicas do poder e da manipulação, pintando Stefan como um antagonista verdadeiro, cujo narcisismo o leva a sacrificar qualquer forma de amor e bondade pelo trono.

A transformação de Malévola em uma "vilã" é, portanto, uma resposta direta às ações manipuladoras de Stefan. No entanto, ao longo do filme, vemos que a essência de Malévola não é puramente maléfica. Apesar de sua vingança, ela forma um vínculo inesperado com a jovem princesa Aurora, a quem ela inicialmente amaldiçoa. Este relacionamento é central para o desenvolvimento de Malévola, revelando que, sob a superfície de sua raiva, ainda reside um coração capaz de amar e perdoar.

"Malévola" é um filme que desafia as noções tradicionais de bem e mal, oferecendo uma história de redenção e compreensão. Ao explorar temas de traição, manipulação e a busca por justiça, o filme nos permite ver Malévola não apenas como uma vilã, mas como uma heroína trágica que foi moldada — mas não definida — por suas experiências dolorosas.


A história de Malévola nos lembra de que, muitas vezes, aqueles que são rotulados como "maus" podem ter sido vítimas em algum momento, empurrados para a escuridão por circunstâncias além de seu controle. Este olhar empático nos convida a refletir sobre as razões por trás das ações das pessoas e a complexidade da natureza humana. Stefan, como apresentado no filme "Malévola", é um personagem complexo cujas ações são fortemente influenciadas por traços narcisistas e uma ambição desmedida. Sua jornada de um humilde camponês a um rei manipulador é marcada por uma série de escolhas que revelam seu verdadeiro caráter. Explorar esses aspectos de sua personalidade ajuda a entender melhor as dinâmicas do filme e a profundidade de sua traição.

Desde o início, Stefan é mostrado como alguém que almeja muito mais do que sua posição atual na vida. Ele é seduzido não apenas pelo poder, mas pela ideia de ascensão social e reconhecimento. Este desejo o leva a fazer escolhas moralmente questionáveis, especialmente quando se trata de Malévola, a quem ele conhece e com quem forma uma amizade na juventude.

Um traço distintivo de seu narcisismo é a maneira como Stefan usa as pessoas ao seu redor para alcançar seus objetivos. Ele não hesita em manipular Malévola, alguém que ele sabe que confia nele e que o ama. Ele explora essa confiança para chegar ao poder, demonstrando uma falta de empatia e consideração pelos sentimentos dela.


Ao justificar suas escolhas para alcançar o poder:


  • "Tudo que fiz, fiz para garantir um futuro melhor para nós."


Stefan usa essa lógica para racionalizar suas ações, incluindo a traição a Malévola. Narcisistas frequentemente justificam suas ações manipuladoras como necessárias, colocando a culpa no "bem maior" para evitar a responsabilidade pessoal.

Ao enfrentar Malévola depois de ter se tornado rei:


  • "Você não sabe o que é preciso para ser um líder, Malévola."


Aqui, Stefan mostra seu desprezo e falta de empatia, diminuindo Malévola e elevando sua própria imagem. Ele se coloca em um pedestal, uma atitude típica de alguém com traços narcisistas que se vê como superior aos outros.


A incapacidade de Stefan de reconhecer ou valorizar os sentimentos de Malévola é evidente quando ele a trai cortando suas asas. Este ato cruel é um exemplo claro de sua falta de empatia — ele não se detém para considerar o trauma e a dor que isso causaria a ela, focado unicamente em seu próprio ganho.


Narcisistas frequentemente justificam suas ações manipuladoras como necessárias para alcançar um bem maior, que muitas vezes é apenas o seu próprio sucesso ou sobrevivência. Stefan se convence de que suas ações são justificadas para garantir seu lugar como rei, distorcendo a realidade para se adaptar à sua narrativa pessoal.


À medida que o filme avança, Stefan torna-se cada vez mais paranoico e obsessivo em relação à sua posição como rei. Seu medo de perder o poder o leva a tomar decisões cada vez mais desesperadas e defensivas, especialmente em relação a Malévola, que ele vê tanto como uma ameaça quanto como um lembrete constante de sua própria traição e culpa.


Stefan exemplifica um narcisista que coloca seus próprios desejos e necessidades acima de qualquer outra coisa, prejudicando aqueles ao seu redor para alcançar seus objetivos. Sua traição a Malévola não é apenas um ponto crucial para a trama, mas também uma representação vívida de como a personalidade narcisista pode causar destruição e dor. 

7 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page