top of page
  • Foto do escritorPsicólogo Flávio Torrecillas

Os narcisistas em algum momento da vida percebem que, de fato, há algo muito errado com eles?

Narcisismo é um conceito que encontramos frequentemente, seja em diálogos cotidianos, obras literárias ou até mesmo no âmbito dos diagnósticos psicológicos. Contudo, um questionamento relevante surge: os indivíduos que apresentam traços narcisistas têm consciência de que algo não está correto com suas percepções e comportamentos? A realidade é que muitas dessas pessoas podem nunca chegar a essa compreensão, vivendo sem reconhecer a origem dos desafios que enfrentam em suas relações interpessoais e na capacidade de empatia.

A visão inflada que um narcisista tem de si mesmo pode ser um véu que encobre uma autoavaliação sincera e crítica. Com frequência, essa percepção distorcida é acompanhada de um comportamento grandioso e uma incessante necessidade de admiração, que o indivíduo pode considerar justificáveis ou até vantajosos. Esta falta de autoconsciência frequentemente resulta em conflitos com outras pessoas e leva a uma existência marcada mais por conquistas superficiais do que por relações profundas e significativas.

Ademais, é fundamental entender que o narcisismo pode se apresentar em variados graus. Em suas formas mais leves, pode haver momentos de introspecção onde a pessoa reconhece e admite suas dificuldades. No entanto, para aqueles que apresentam traços mais intensos ou desenvolvem um transtorno de personalidade narcisista, o processo de ganhar essa consciência é consideravelmente mais complicado, podendo necessitar de intervenção especializada.

Além disso, a desinformação ou a falta de conhecimento sobre o transtorno são barreiras adicionais. Surpreendentemente, muitos indivíduos e até mesmo seus familiares podem não saber que o narcisismo vai além de simples características de personalidade, representando uma condição clínica que requer atenção. Essa falta de conhecimento pode impedir o diagnóstico e o tratamento adequados, prolongando os desafios em várias áreas da vida do indivíduo.

Reconhecer o narcisismo como um transtorno de personalidade, e não apenas como um conjunto de características negativas, é crucial para promover uma maior compreensão e empatia tanto para com aqueles que vivem com o transtorno quanto para seus entes queridos. Encorajar a busca por autoconhecimento e apoio terapêutico profissional pode ser decisivo para iniciar uma jornada de mudança, visando uma existência mais equilibrada e harmoniosa. Com o suporte adequado, é possível cultivar relacionamentos mais saudáveis e uma melhor qualidade de vida.

18 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page