top of page
  • Foto do escritorThyz Muszynsky

Transtorno de Personalidade Narcisista

O narcisismo é popularmente conhecido como uma qualidade indesejável, pois pessoas narcisistas são “cheias de si” e não ligam para os outros. São pessoas que acreditam estar sempre no topo, que são melhores que as outras e que merecem sempre o melhor, mesmo que precisem “pisar” nos outros para conseguir o que querem. Frequentemente, acredita-se que essas pessoas também não ligam nem um pouco para críticas, mas será que isso é verdade?


No Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais (DSM), existe uma condição chamada Transtorno de Personalidade Narcisista (TPN), cuja principal característica é um padrão difuso de grandiosidade, necessidade de admiração e falta de empatia. Contudo, pessoas diagnosticadas com esse transtorno frequentemente são demasiadamente sensíveis a críticas e possuem dificuldade na regulação da autoestima. Sendo assim, muitos dos seus comportamentos narcisistas são para compensar essa autoestima frágil.


O transtorno pode afetar até 6,2% da população mundial e é mais frequente em homens. O diagnóstico só é feito na idade adulta, pois durante a infância e a adolescência é comum o surgimento de traços de personalidade narcisista, sem que isso indique um funcionamento inadequado do indivíduo.


Se não tratado, o TPN pode trazer prejuízos nas relações interpessoais, na vida familiar, no trabalho, nos estudos e diversas outras esferas da vida. Por conta disso, frequentemente pessoas com esse transtorno passam a desenvolver comorbidades como depressão e até mesmo abuso de drogas, sendo estas comorbidades o motivo pelo qual maior parte desses pacientes busca ajuda especializada.


Causas

Assim como em diversos transtornos de personalidade, não se sabe de causas bem definidas para o desenvolvimento do transtorno de personalidade narcisista. Fatores hereditários e ambientais podem influenciar no surgimento do transtorno.

Algumas teorias apontam que pessoas que foram muito criticadas ou muito elogiadas durante a infância podem ter uma tendência maior a desenvolver o TPN.


Sintomas

O principal sintoma do transtorno de personalidade narcisista é a sensação exagerada da sua própria importância, ou seja, o paciente sente que é mais importante do que as outras pessoas e seu comportamento costuma mostrar isso. Frequentemente exigem o melhor, querendo as coisas das melhores marcas, frequentar os melhores lugares e manter relações com pessoas famosas e renomadas.

Em determinadas situações, podem recusar serem atendidos por “qualquer pessoa”, como por exemplo ao exigir falar com o gerente de uma loja ao invés de um funcionário que poderia resolver seu problema, ou exigir ver o médico referência em determinado assunto ao invés de ir em um médico desconhecido que atende na mesma especialidade.

Indivíduos com TPN tendem a exagerar suas capacidades, qualidades e conquistas, de modo a parecerem arrogantes e pretensiosos. Eles acreditam que as outras pessoas também os veem deste jeito e podem ficar surpresos quando os outros não prestam elogios, agradecimentos ou considerações em relação aos seus esforços. Há também a tendência de subestimar as contribuições e capacidades das outras pessoas.

São comuns fantasias de sucesso e poder, de modo que essas pessoas podem até mesmo se comparar a pessoas famosas e privilegiadas, colocando-se no mesmo patamar. Há frequentemente a sensação de achar que devem se envolver com esse tipo de pessoa, não devendo se envolver com pessoas “comuns”, pois acreditam serem pessoas especiais, únicas e superiores em relação às outras, e que apenas pessoas do “mesmo tipo” são capazes de entendê-los.

Há uma necessidade de admiração que frequentemente se traduz em esforços para serem bem vistos por aqueles ao seu redor. Podem fazer coisas para chamar a atenção, embora sempre de forma positiva, pois querem ser admirados. Por vezes, podem até achar estranho quando não sentem que seus pertences e modo de vida são cobiçados pelos outros. Costumam, também, tentar difamar ou tratar com desdém uma pessoa ao ver que ela está levando créditos ou sendo elogiada.

Ao sofrerem alguma crítica ou rejeição, podem agir de forma agressiva, pois não suportam que não sejam vistos de maneira especial. Acreditam ter o direito a um tratamento especial, frequentemente sendo servidos pelos outros, e podem até chegar a tentar tirar proveito das outras pessoas para que isso se concretize. Há até mesmo uma falta de empatia neste sentido, pois não se sentem mal em explorar os outros em prol de melhorar sua autoestima e frequentemente não reconhecem as necessidades e sentimentos de terceiros.


Diagnóstico

Para que seja feito o diagnóstico de TPN, o paciente precisa apresentar 5 ou mais dos seguintes critérios:

  • Sentimento grandioso da própria importância;

  • Preocupação frequente com fantasias de sucesso, poder, brilho, beleza ou amor ideal;

  • Crença em ser superior, especial ou única, bem como a expectativa de que os outros a reconheçam como tal;

  • Exigência de admiração excessiva;

  • Expectativas irracionais de tratamento favorável e sensação de possuir direitos a mais;

  • Exploração das outras pessoas, seja consciente ou não;

  • Falta de empatia;

  • Tendência a invejar os outros e acreditar que os outros os invejam;

  • Comportamentos arrogantes como esnobismo e desdém.

Diagnósticos diferenciais

Alguns sintomas do TPN podem ser confundidos com outros transtornos e, portanto, uma parcela da população com este transtorno pode acabar sendo diagnosticada erroneamente com algum dos seguintes transtornos:

  • Transtorno bipolar: Durante as fases de mania, o paciente com transtorno bipolar pode apresentar sentimentos de grandiosidade e comportamento bem parecido com o paciente com TPN;

  • Transtorno de personalidade borderline (TPB): O TPN pode ser confundido com o borderline por conta da alta sensibilidade do paciente às críticas e dificuldade de regulação da autoestima;

  • Transtorno de personalidade antissocial: Explorar os outros em seu próprio benefício é uma característica deste transtorno que também está presente no TPN, contudo, as motivações são diferentes. Enquanto o paciente antissocial explora os outros em benefício próprio de forma generalizada, o paciente com TPN explora para manter sua autoestima e sensação de superioridade;

  • Transtorno de personalidade histriônica (TPH): Os dois transtornos buscam pela atenção dos outros, mas a principal diferença é que o paciente com TPN busca exclusivamente a admiração das outras pessoas, enquanto o paciente com TPH não necessariamente quer ser admirado, mas sim notado de alguma forma — mesmo que de maneira negativa.

Tratamento

Não existe um tratamento farmacológico específico para o transtorno de personalidade narcisista, mas é possível que o psiquiatra prescreva medicamentos para lidar com possíveis comorbidades, como a depressão.

Geralmente, o tratamento é feito por meio da psicoterapia, que deve ter como foco auxiliar no melhoramento de traços da personalidade que estão causando prejuízos na vida do paciente. Neste sentido, abordagens como as terapias cognitivo-comportamentais podem ajudar bastante — contudo, é comum que pacientes rejeitem o tratamento por acharem que a abordagem não é o suficiente para eles ou que não precisa de tratamento.

É importante que o paciente tenha recursos para buscar a terapia que acredita ser a mais adequada para si, pois existem diversas abordagens da psicologia que podem tratar os mesmos problemas; o mais importante é o paciente conseguir estabelecer uma boa relação com o terapeuta e com o método de trabalho da abordagem.


O transtorno de personalidade narcisista pode trazer prejuízos sérios para a vida do paciente e, portanto, um tratamento adequado faz muita diferença. Se você se identificou com alguns dos sintomas ou conhece alguém que pode estar sofrendo com eles, não hesite em entrar em contato com um psicólogo ou psiquiatra de confiança!


Referências

American Psychiatric Association (2014). DSM-5 – Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. Porto Alegre: Artmed.


21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A Dissimulação do Narcisista: A Arte da Mentira

O narcisista faz da mentira seu hobby favorito, e ele não poupa esforços para enganar a vítima e todos à sua volta. Para ele, suas próprias vontades e desejos estão acima de tudo, e ele não hesita em

A Ausência de Compreensão do Narcisista:

A empatia é a habilidade de compreender e compartilhar os sentimentos dos outros. Pessoas comuns utilizam a empatia para expressar o amor e o respeito que têm uns pelos outros. A empatia fortalece os

Cortando Contato com o Narcisista:

Cada briga e discussão com o narcisista faz a vítima se sentir pequena, solitária e vazia. Ao contrário de pessoas equilibradas psicologicamente, o narcisista nunca pede desculpas por tratar alguém de

Comments


bottom of page